A disfunção erétil persistente ou intermitente

A disfunção erétil persistente ou intermitente é freqüentemente um sinal precoce de diabetes e deve ser uma indicação se ainda não se sabe que ela é procurada. Vasculopatias, distúrbios neurobiológicos graves e outros distúrbios metabólicos também podem causar disfunção erétil; Naturalmente, essas doenças devem ser tratadas causalmente. Em primeiro lugar, diabetes mellitus, que tanto pode levar à calcificação de artérias que suprem o sangue e danos aos nervos do pênis.

Particular atenção deve ser dada à atitude mental ou à prontidão de ambos os parceiros e ao “aproximar-se uns aos outros”.

Além disso, alguns medicamentos podem disfunção erétil causa (libido e ereção respeito): antidepressivos, pílulas para dormir e tranquilizantes, neurolépticos, cortisona, gota, drogas Parkinson, significa pressão arterial elevada (fale com o seu médico sobre isso, existem medicamentos que param este problema nas costas), controladores de água Digitálicos, citostáticos e drogas (por exemplo, álcool, cocaína, heroína, morfina etc.). A nicotina é um fator de risco: 75% dos homens impotentes precisam de mais de 25 cigarros por dia.

A atividade sexual requer desejo e imaginação, um número suficiente de hormônios, boa circulação sanguínea e um sistema nervoso funcional. A perda da disfunção erétil pode ser devida à deficiência de qualquer um desses fatores ou à deficiência de múltiplos fatores. A ejaculação geralmente irá parar a ereção e ao mesmo tempo sentir um orgasmo. O orgasmo também pode ser experimentado sem a ejaculação e a ejaculação também pode ocorrer sem a ereção. Saiba o que pode ser usado nesses casos, para combater a disfunção sexual com medicamento libidol.

A atividade sexual masculina varia de acordo com a idade. Desejo sexual acorda na puberdade e piora na velhice. Com autodomínio, o homem aprende a conhecer sua própria sexualidade, suas imagens e as funções de seus genitais. A masturbação também é certamente a forma mais comum de atividade sexual em humanos. A atividade sexual está no topo do homem aos 20-30 anos, quando ele experimenta um orgasmo em média a cada três dias. Com a idade, a atividade desacelera e, aos 60 anos, os orgasmos experimentam uma média de duas semanas.

Esta entrada foi publicada em Blogging. Adicione o link permanente aos seus favoritos.